Search

    A minha Lista de blogues

    contador

    Loading...
    Ocorreu um erro neste dispositivo
    Ocorreu um erro neste dispositivo
    Ocorreu um erro neste dispositivo

06/10/09

Dias de Outono



Versos de Outono

Meus versos são como Outono, amarelados,
Secos, caídos, como folhas envelhecidas,
De árvores, com as folhas todas já caídas,
De tempos de muitos prantos derramados...

Minhas rimas são como os secos galhos
Dos troncos carregados de solidão
Largados nas noites frias, em retalhos
Levando-me embora, a inspiração...

Ah, mas é esse o Outono!
Tão morto, tão só, tão sombrio,
Na cama, aqui, eu sinto sono,
No sonho, vil, eu sinto frio...

E é assim que morrem as folhas,
Nessa época, e morrem os versos,
Se estouram, como simples bolhas,
Sentimentos, tornam-se dispersos

Sem rimas, o Outono irá passar...
Mas sabe, sinto, não irei temer,
Pois sei que novos versos vão chegar
Assim que a Primavera florescer....
Murilo Saldanha da Silva

0 comentários: